300 famílias sem teto de Brazlândia ocupam área alvo de litígio fundiário. Foto Chico Sant'Anna

Irloã tem 7 anos, seu Euripedes, 74. Um sonho une neto e avô. Um teto para morar. Viver sem pagar aluguel, um canto só deles, que permita viver com qualidade e tranquilidade.

O sonho de Irloã e seu Euripedes é compartilhado com outras 300 famílias sem teto, que neste fim de na ocuparam uma área em Brazlândia. O lacal, logo após a Vila São José, é alvo de litígio. A Terracap diz que é propriedade do GDF, grileiros já tradicionais na cidade dizem que a terra é deles. Neste estica e puxa que não acaba nunca, quem sofre são os inquilinos de Brazlândia que chegam a pagar até R$ 400 reais pelo aluguel de um barraco.

Muitos que ocuparam esta faixa de cerrado, próximo à rodovia que liga a cidade a Padre Bernardo,em Goiás, estão há décadas nas listas criadas pela SHIS, pelo Idhab e agora Cohab. Acusam que a seqüência da lista não é obedecida e que quem tem dinheiro ou relação com algum político consegue furar a fila.

Os inquilinos de Brazlândia querem apenas um espaço para morar e esperam a compreensão do GDF, que até dominbò à noite não havia aberto nenhum canal de negociação. Enquanto isto, mulheres, crianças, idosos e trabalhadores continuam demarcando alguns metros quadrados capazes de abrigarm futuro próximo um lar. Por enquanto, a paisagem é árida, onde só as lonas negras de plástico protegem estes moradores sem teto que tem um sonho em comum. O mesmo sonho de seu Euripedes e de Irloã: um lugarzinnho para morar.

Representantes do Psol estiveram no acampamento para construir um canal de negociação. Foto Leomarques Souza

No domingo, Toninho do Psol – candidato ao GDF – e Chico Sant’Anna – candidato ao Senado – estiveram no local. A idéia era construir um canal de comunicação com o GDF para evitar que haja violência. Oficiais da Polícia Militar estiveram no local e, segundo os moradores, ameaçaram fazer uma desocupação à força. Moradia é um direito pelo qual o Psol luta. O direito à moradia esta inscrito na Constituição.

Os informes datados de segunda-feira, 19/7, apontam que o governado do Distrito Federal, Rogério Rosso, do PMDB – partido que está coligado ao PT – não pretende negociar e determinou o envio da polícia militar para o despejo dos sem teto de Brazlândia.