Poema de fim de semana: Paráfrases

Luiz Martins da Silva

 

Até outrora,

Safra de amoras.

Mas, se já se foram,

Logo volverão.

Tudo se roda,

Até que um dia

Na lua de volta,

Clara aporia.

Imagens ficam,

Beijos fricativos.

Aromas oníricos,

Quase ornitológicos.

Ninhos do sempre,

Em trançados nós.

E de novo enovelo,

De aves avós.

Guardador de espelhos,

Refresco agasalhos.

Gerações de rebanhos

Que aos rios se lavam.

Sim, por haver sentido,

Em lavar a água.

Com a pureza d’alma,

Nada há de olvidos.

Pois as coisas lidas

É que amparam o tempo,

Com orvalhos de vida,

Luvas de momentos.

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s