Ilhas Malvinas – Atlântico Sul. Foto: Chico Sant’Anna

Poema de Luiz Martins. Foto de Chico Sant’Anna

Férias que tanto amei

E que tanto tento guardar

Em espirais de dez matérias,

Em capas de material escolar.

x

Estranha memória de vidro

Do que fora não está mais,

Mas dentro, ilusionismo,

Do que persiste em lilás.

x

Cenas retidas, retinas,

Museu de cera, gratuito.

Ingresso de volta à rotina,

A vida, a imatéria fortuita.

x

São teimas do indelével,

Ondas na praia a quebrar.

Passeios, praia, farol,

Cenas que insistem em ficar.

x

Lampejos, pedaços de outrora,

Saudades passadas a limpo.

São giros, caleidoscópios,

Do que se recusa ir embora.

x

Espumas, pranchas, rochedos!

— Redija um texto: “Minhas férias”.

Neve, montanha, alpinismo…

E a vida voltando ao mesmo.

Anúncios