O Mercosul, que reúne Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai – a Venezuela aguarda a concordância do Paraguai para também se integrar ao bloco – possui um Parlamento, o Parlasul, que funciona há pouco mais de dois anos em Montevideu, considerada a capital do Mercosul. Pelo tratado internacional que criou o bloco, até 2011 todos os países deveriam ter eleito pelo voto direto seus membros. Só o Paraguai cumpriu o acordo. Argentina deve escolher seus representantes neste ano.

O Brasil, que deveria ter eleito seus representantes junto com as eleições de 2010, só agora está analisando a legislação que irá definir o método eleitoral. Há duas propostas: uma na Câmara Federal, que prevê lista nacional fechada, e outra no Senado, que é uma espécie de voto distrital misto – um representante por estado e o restante, até completar 75 parlamentares, em lista nacional fechada.

Tudo se encaminhava para que a eleição fosse em 2012, junto com o pleito municipal – até para não aumentar muito as escolhas que o eleitor tem que fazer nas eleições gerais (deputado estadual, federalm senador, governador e presidente da República) -, mas agora, deputados estão aprovando um projeto que prorroga os mandatos até o início de 2015. A eleição para o Parlasul só se daria em 2014, deixando uma espécie de biônicos representando o Brasil.

Com o objetivo de permitir que a sociedade brasileira escolha ela mesmo os seus representantes no bloco econômico,  partidos políticos e movimentos sociais começam a se mobilizarem nos estados exigindo eleições diretas para os 75 parlamentares a serem eleitos para representarem o Brasil no Parlamento do Mercosul.

 Veja abaixo o relato da primeira reunião do movimento

Por ZÓBIA SKARTINNI e JUAREZ COSTA.

 

Com a presença de centenas de  militantes de diversos partidos políticos e de movimentos sociais que relembraram a campanha das Diretas Já que tomou conta do país na década dos anos 80 no  apoio a Emenda Dante de Oliveira que almejava a eleição popular e direta para Presidente da República em pleno regime militar, foi lançado nesta quarta feira, 27, em Brasília o Comitê Nacional DIRETAS JÁ PARLASUL 2012.

 A campanha das Diretas Já Parlasul 2012 objetiva apoiar o projeto de lei do Senador Lindembergh Farias, do PT do Rio de Janeiro e do Deputado Carlos  Zarattini, do PT de São Paulo, que regulamentam as eleições diretas para o Parlamento do Mercosul, a se realizar em conjunto com as eleições de Prefeito e Vereador a se realizar em 07 de outubro de 2012 e que deve eleger setenta e cinco parlamentares.

Estiveram presente além de dirigentes e parlamentares de vários partidos como o Deputado Alexandre Roso, do PSB\RS,Deputado Raimundo Ribeiro, Vice-Presidente do PSDB-DF, militantes do PDT, PT, PV, PTB, PMDB dentre outros.  Também  compareceram e manifestaram apoio á campanha os dirigentes das diversas Centrais Sindicais do país, como a CGTB, que através de seu Presidente no DF, Waldir Ferreira, representando o Presidente Nacional Antonio Neto, manifestou o envolvimento direto e a participação dos trabalhadores na campanha e no apoio ao Parlasul.

Líderes estudantis como dos principais Centros Acadêmicos e do DCE, Diretório Central dos Estudantes da UnB, em Brasília, além de manifestarem o apoio a campanha compuseram a Coordenação da campanha. Além do representante do DCE, Vitor Guimarães, estiveram presente e levaram o apoio do movimento estudantil, ativistas e representantes de diversos outros Centros Acadêmicos, como do CA de Ciência Política e do  CA de Relações Internacionais, dentre outros.

Além da Coordenação do Comitê que está constituída de um representante de cada partido político e das direções dos movimentos sindical, comunitário, estudantil e popular e demais movimentos sociais, cada estado está autorizado a organizar seu próprio Comitê refletindo o Comitê Nacional onde estão presente partidos e organizações populares. Ontem ainda ficou constituído além de três comitês populares, sendo um Comitê Sindical, um Comitê Comunitário e um Comitê Estudantil e da Juventude, três comissões de trabalho que desenvolverão as atividades de, Articulação Parlamentar; Comunicação e Mídia, e a de Mobilização Popular.

Além das deliberações sobre organização ficou acertado que a prioridade neste momento é o apoio a Emenda do Senador Antonio Carlos Valadares , PSB\SE, que será votada na próxima terça feira, dia 03 de maio, que estabelece o mandato dos parlamentares a serem eleitos na próxima semana pelo Congresso Nacional, somente até 31 de dezembro de 2012 e prever um mandato tampão e o encerramento do mandato destes para que os eleitos em 07 de outubro de 2012 assumam no lugar dos biônicos. Neste data será votada pelo Congresso a Resolução que regulamenta a organização e eleição da Representação Brasileira no Parlasul.

 A reunião que iniciou a campanha das Diretas Já para o Parlasul em 2012 e foi convocada pelos partidos políticos e movimento sociais contou com a presença e a participação direta e a coordenação de históricos dirigentes da esquerda brasileira e antigos ativistas de campanhas como as Diretas Já para Presidente, pela Constituinte, como o ex-deputado Ricardo Zarattini, o atual Coordenador Nacional do Movimento Democracia Direta, Acilino Ribeiro, o histórico dirigente do PDT e filho do ex-presidente João Goularth, João Vicente Goulart, além do apoio de Carlos Siqueira, da direção nacional do PSB, autor do livro sobre o Parlasul que serve no momento de manual básico sobre o que a base do movimento e o mundo acadêmico deve conhecer a respeito da  “Evolução Histórica do MERCOSUL”.

 

Fontes: ASSIMP do PSB; PSDB; PDT (presentes á reunião ) MDD; EPP; INTERPRENSA.