Mesmo tendo sido ministro dos Esportes e de ter um ex-correligionário e colaborador, Orlando Silva, no comando atual do ministério dos Esportes, o governador Agnelo parece não ter sido forte suficiente para assegurar para Brasília a abertura da Copa Mundial de Futebol, em 2014.

O estádio de futebol Mané Garrincha – que agora o GDF só quer chamar de Estádio Nacional de Brasília apagando uma justa homenagem ao craque das pernas tortas, que chegou a jogar no Ceub – foi superdimensionado para receber 70 mil pessoas, 5 mil a mais do mínimo exigido pela Fifa. Tudo com o propósito de fazer da cidade a capital da Copa. As obras parecem estar avançadas, mas nada disso parece estar sendo suficiente para superar São Paulo, cuja construção do estádio ainda nem teve o contrato assinado e cuja capacidade não chegará a 50 mil espectadores.

Como diria Janio Quadros, forças ocultas devem estar conspirando contra a Capital Federal. A notícia oficial da escolha da sede de abertura da Copa deve sair neste sábado sem nenhuma pompa. O anúncio deverá ser publicado apenas no portal da Fifa. Que tráficos de influência terão existido por de traz desta decisão só o tempo nos dirá. Mas segundo o noticiário tudo já está definido por São Paulo, conforme pode ser visto na matéria abaixo de O Estado de São Paulo.

Fifa descarta Brasília como abertura da Copa

De posse das garantias financeiras, entidade vai oficializar nesta quarta o futuro estádio do Corinthians (SP) como palco do Mundial

SÃO PAULO – A Fifa definiu que o estádio do Corinthians, em Itaquera, será o palco da abertura da Copa do Mundo de 2014. Tanto o clube quanto a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já foram notificados da decisão. A intenção dos dirigentes em Zurique, na Suíça, é oficializar o anúncio ainda nesta quarta-feira, conforme antecipou ontem a coluna Direto da Fonte, no portal estadao.com.br.

A opção pela nova arena corintiana já estava tomada desde o segundo semestre do ano passado. Porém, a entidade presidida por Joseph Blatter aguardava a definição e apresentação das garantias financeiras do projeto, o que foi feito segunda-feira. Um aspecto, porém, ainda preocupa: o fato de representantes do Corinthians e da Odebrecht, construtora encarregada da obra, não terem assinado o contrato.

Apesar da recomendação de manter sigilo sobre o assunto, dirigentes corintianos que transitavam ontem pelo Parque São Jorge não conseguiam disfarçar a ansiedade pela oficialização. O diretor de marketing, Luiz Paulo Rosenberg, disse não saber da notícia, mas se mostrou empolgado. “Não tenho a confirmação, mas que não me surpreenderia, não mesmo”, afirmou ao Estado.

“Afinal, o projeto é o do sonho deles (Fifa), o cronograma é tranquilo, as obras já estão em andamento em ritmo de Brasil grande e a CNO (Odebrecht) deu garantias financeiras. Por que não aprovar e matar este assunto?”

O presidente do clube, Andrés Sanchez, limitou-se a dizer que o anúncio oficial sobre a sede da abertura poderia sair a qualquer hora, ou qualquer dia.

Prefeitura

O otimismo não contagiou apenas os corintianos. No Twitter, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, demonstrou confiança no desfecho positivo para a cidade na briga pela abertura do Mundial. Em pelo menos três mensagens, Kassab tratou do tema, deixando informações nas entrelinhas. “Quero mais uma vez registrar a importância que tem para São Paulo a realização do jogo de abertura da Copa de 2014”, postou o prefeito, para logo em seguida completar. “Esperamos a confirmação de São Paulo como sede da abertura da Copa, com a certeza de termos cumprido com o nosso dever.”