Produtos típicos do Nordeste brasileiro são apropriados e até patenteados por multinacionais estrangeiras.

Por Chico Sant’Anna

Depois de patentearem o chocolate de açaí, o adoçante de stévia, as propriedades do urucum para bronzeadores, de comprarem a Maguary, o Mate Leão, o suco Mais e tantas outros produtos e essências genuinamente brasileiras, agora é a vez da Cajuína ser alvo da ganância das multinacionais. A Cajuína virou produto da Coca-Cola, que chega ao mercado com a denominação Crush Cajuína, ou então Crush sabor caju.

Em 2001, a Coca-Cola já tinha comprado os direitos de produção de um dos mais tradicionais refrigerantes do Nordeste, o refrigerante cor-de-rosa Jesus, do Maranhão.

A é uma tradicional bebida nordestina, principalmente no Piauí, a Cajuína agora vai ser vendida com a marca Crush. Inicialmente, a venda é exclusiva aos consumidores da região do Cariri, no Ceará.

No Piauí o lançamento da multinacional norte-americana teve som de retaliação aos piauienses.

“O desrespeito da Coca-Cola para com o Piauí beira a irresponsabilidade. Chamar Cajuína de “um gostinho do Ceará” parece ser retaliação e merece o repúdio dos piauienses” afirmou o portal Terra Norte. 

O lançamento da Crush- Cajuína foi alvo de protesto também na tribuna do Senado Federal.

“Esquece – a Coca-Cola – que, primeiro, cajuína é suco natural, produto nutritivo e saudável, e não refrigerante como está sendo chamada. Segundo, longe de ser uma dádiva da natureza, como pensam os representantes da Coca-Cola, é um produto cultural nordestino, notadamente piauiense, fruto de um saber socializado entre várias gerações durante todos esses anos. Trabalhado artesanalmente, como produto nobre e que gera milhares de empregos e empreendedores familiares” – esbravejou o senador Welington Dias – PT/PI.

A Crush Cajuína, como foi chamada a bebida, tem guaraná e suco de caju na composição e será comercializado em embalagens 600ml e 2 litros. De acordo com a Coca-Cola do Nordeste, a cultura da fruta na região é responsável pela diferenciação do consumo de refrigerantes no estado do Ceará. O lançamento faz parte da estratégia de regionalização dos produtos da empresa.