O  blog Rádio Corredor informa que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o mandato do deputado distrital Raad Massouh. Para o TSE, houve uma ” uma grave irregularidade que enseja desaprovação das contas”.

Eleito pelo oposicionista DEM, Raad se mudou com malas e bagagens recentemente para o PPL – Partido Pátria Livre (constituído por antigos militantes do MR-8) que está na base de Agnelo Queiroz. Quem preside o PPL é o jornalista Marco Antonio Campanela, diretor do DFTrans. Com a mudança de legenda restaram isoladas na oposição  ao GDF as três deputadas — Liliane Roriz, Celina Leão e Eliana Pedrosa, todas filiadas ao PSD. Eliana Pedrosa, informam os bastidores, já não seria assim tão oposição ao governo Agnelo.

Leia também:
Você sabia que quatro Distritais eleitos em 2010 já foram cassados pelo TRE-DF?
Deputados distritais:veja a lista dos que mais faltaram ao trabalho na CLDF

Em dezembro passado, Raad, depois de migrar para a base de Agnelo, ganhou uma secretaria no GDF. Ele se licenciou do mandato de deputado distrital e assumiu o cargo de secretário da Micro e Pequena Empresa e Economia Solidária no governo do Distrito Federal. Com a licença, o primeiro suplente do DEM, legenda pela qual Raad foi eleito (embora não desse muita visibilidade à sua filiação partidária no material de campanha), o ex-deputado Paulo Roriz foi convocado para assumir o mandato.

A cassação de Raad, segundo o blog, foi publicada no Diário Oficial do TSE, desta terça-feira, 7. A decisão ainda cabe recurso. Caso Raad perca o mandato, quem deve assumir definitivamente seu lugar é  Paulo Roriz do DEM (foto). Se isso se concretizar, a oposição volta a ter mais um representante na Câmara Legislativa.

Raad é o segundo distrital cassado pelo TSE depois das eleições de 2010. O outro foi Benício Tavares, do PMDB. Anteriormente, em 04/08/2011, o TRE-DF, julgando denúncia de captação ilícita de recursos na campanha eleitoral de 2010, cassou o mandato do deputado distrital Wellington Luiz, eleito pelo PSC, mas que também migrou para o PPL. No dia 1º de dezembro, contudo, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral  decidiu manter o mandato. Na fila do TSE ainda há outro processo de cassação, desta vez, referente a Marcus Antonio Costa (PT do B), cassado pelo TRE-DF em 05/10/2011.

Segundo a edição de 26/7/2011 do Correio Braziliense, o deputado distrital Raad Massouh teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), em novembro de 2011. Por cinco votos a um, a Justiça entendeu que o político cometeu ilegalidades na captação e no uso de recursos de campanha. Com a decisão, o plenário respaldou a ação movida pelo Ministério Público Eleitoral contra a prestação de contas de Raad.