Há alguns meses, coloquei aqui neste blog o artigo Movimentações políticas já articulam a sucessão de Agnelo . Nele, afirmava que antes do fim do ano deveria ter início o “desembarque” das lideranças políticas do governo Agnelo. Minha avaliação é que esse processo deveria acontecer no segundo semestre, pois permitiria aos partidos que formam a “Turma da Mudança”, montada por Agnelo, saborearem até o último minuto possível as benesses concedidas pelo poder a quem dele faz parte.

Leia também:

Eleições em Brasília: um novo Samba do Crioulo Doido

Errei! Errei na avaliação do prazo. Como ratos num navio que naufraga, alguns partidos já começam a largar o osso e anunciam a partida antecipada. É o que nos informa o Blog Rádio Corredor.

Segundo o blog, o governo petista do Distrito Federal, imerso em denúncias de corrupção,  deve perder definitivamente o apoio do PDT. Esta posição de afastamento já vinha sendo defendida pelo senador Cristovam Buarque. Isso ficou bem claro na propaganda partidária por ele gravada. Na TV, Buarque acusava o GDF de ser um governo de uma única obra – o Estádio Mané Garrincha, agora envolto em suspeitas de irregularidades, segundo relatório do TC-DF – e de não ter promovido a mudança de postura prometida.

Cristovam não conseguiu convencer os distritais pedetistas, mas agora, segundo o informe do blog, ele voltou à pressão contra o deputado distrital Israel Batista (foto) a retirar as indicações que fez no governo local.

Na segunda-feira, o PDT dará um ultimato de 48 horas: ou o parlamentar abre mão dos cargos ou terá de deixar o partido. O PPS e o PSB também ameaçam abandonar a coalizão de apoio a Agnelo Queiroz. Na semana que passou, o presidente e o vice da Ceasa, ambos dos quadros do PSB, deixaram a direção da Central de Abastecimento.

Esse desembarque deixaria o petista ainda mais dependente de legendas que, num passado recente, apoiaram Joaquim Roriz e José Roberto Arruda.

A debandada pode dar uma esperança de que o pedido feito pelo PSOL-DF para a abertura de uma CPI que investigue as relações Agnelo – GDF – Cachoeira aconteça. O presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire, já autorizou a seus distritais que assinem e apoiem a abertura da CPI.

Agora é esperar para ver.