Poema de Felipe Rima. Fotos de Chico Sant’Anna

 

Elas que desabrocham com a mais perfeita sutileza,

que no cabelo da moça complementa sua beleza.

 

Elas que fazem brotar sorrisos e abrilhantam o olhar,

enviadas para um feliz dia, para um adeus, ou para meditar

 

Elas que conduzem a alma, de tão feliz, às alturas,

mas que, muitas vezes, em lágrimas descem à sepultura.

 

Acompanhadas por um bilhete elas seguem levando sonhos e esperança.

 

Escritoras de momentos que sempre ficarão na lembrança.

Usadas para uma difícil despedida, ou para a confirmação da aliança.

 

Seus espinhos ferem como um adulto, mas com a inocência de uma criança.

 

Transportadoras de emoções, de felicidades ou até mesmo de dores.

Receba-as com carinho, envie-as com amor e aprenda com as flores.

Anúncios