Poema de Fim de Semana: Não é todo dia

Fim de uma campanha, início de uma jornada. Foto Chico Sant'Anna

 

 Poema de Luiz Martins da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

 

Não é todo dia em que nasce o sol,

Se dele não apercebermos os bocejos

E bochechos em líquida substância

À base de plasma estelar.

 

Não é em toda noite que vem a lua,

Principalmente, se esquecidos

Da arte de namorar ao som

Das marés dos mares do Sul de areia.

 

Não é sempre que há estrelas,

Pois, por vezes, não as contamos,

Mesmo sabendo com certeza

De quantas verrugas hão de nos nascer.

 

Não é todo dia em que há crepúsculo,

Se não lhes aviarmos o enxoval de veludo

Para que Sol e Lua se deitem em núpcias,

Qual Rainha de Sabá na corte de Salomão.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s