Você conhece as aves de Brasília? Conheça aqui o Pica-pau-do-campo

Este casal foi flagrado comendo manga, no Park Way, local inserido na Apa de Proteção do Gama, no Distrito Federal. Foto: Chico Sant'Anna

Este casal foi flagrado comendo manga, no Park Way, local inserido na Apa de Proteção do Gama, no Distrito Federal. Foto: Chico Sant’Anna

Texto baseado no Wiki Aves, a Enciclopédia das aves do Brasil. Fotos de Chico Sant’Anna e da Wikiaves.

O pica-pau-do-campo (Colaptes campestris) é um grande pica-pau sul-americano, campestre e terrícola. Também é conhecido como chã-chã. Ele possui, em média, 32 centímetros. A espécie é facilmente identificável por conta da sua coloração: tem os lados da cabeça e do pescoço amarelos, assim como o peito, o alto da cabeça e a nuca são negros, da mesma forma que o bico e os tarsos, manto e barriga barrados e o baixo dorso é visivelmente branco ao voo.

Existem duas subespécies que se distinguem pela cor da garganta. C. campestris campestroides de cor branca e C. campestris campestris de cor negra, cuja ocorrência é do estado de São Paulo ao norte de Santa Catarina, onde ocorrem ambas as subespécies. Da região central de SC ao Rio Grande do Sul ocorre somente C. campestris campestroides (de garganta branca). Vivem aos pares ou em pequenos bandos, sendo que o macho apresenta em ambos os lados da cabeça duas faixas avermelhadas (DEVELEY & ENDRIGO, 2004).

Leia também:

Com a constante urbanização do Distrito Federal, o Pica-pau-do campo vem sendo visto com mais freqüência em residências e jardins. Foto: Chico Sant'Anna

Com a constante urbanização do Distrito Federal, o Pica-pau-do campo vem sendo visto com mais freqüência em residências e jardins. Foto: Chico Sant’Anna

Canto

Sua voz, bem variada e forte, serve para a marcação territorial, e como meio de comunicação entre o macho e a fêmea, tal como o tamborilar nesta família. Este pode, até substituir o canto estando, os dois, ligados à quadra reprodutiva e, portanto, sendo executados apenas periodicamente.

Ouça aqui o canto do Pica-pau-do-campo 

Som pica-pau-do-campo (Colaptes campestris) por Danilo Henrique | Wiki Aves – A Enciclopédia das Aves do Brasil.

Foto: Chico Sant'Anna

Sua voz, bem variada e forte, serve para a marcação territorial, e como meio de comunicação entre o macho e a fêmea. Foto: Chico Sant’Anna

Reprodução e hábitos alimentares

Alimenta-se de insetos, principalmente formigas e cupins. A secreção de sua glândula mandibular é como uma cola que faz com que a língua funcione como uma vara de fisgo para capturar os insetos.

Os ninhos são bastante elaborados, e em muitos casos, construídos a cada período reprodutivo. Preferem cavar a face do barranco que se inclina para o solo, o que facilita a proteção quanto à chuva e a defesa de entrada.

Os ninhos são bastante elaborados, e em muitos casos, construídos a cada período reprodutivo. Foto:Wikiaves

Geralmente fazem mais de uma cavidade, sendo que a entrada corresponde ao tamanho do corpo desta espécie, não permitindo que outras aves e/ou predadores tenham acesso (SICK, 1997). Põe de 4 a 5 ovos brancos, límpidos e brilhantes. Macho e fêmea fazem a incubação. Os filhotes nascem nus e cegos e são alimentados com bolas de insetos conglomerados e larvas de cupim, regurgitadas pelos pais.

Ele habita campos e cerrados, vive em casais e, às vezes em pequenos grupos. Terrícola, costuma capturar insetos no solo, mas ao se sentir ameaçado procura árvores ou grandes pedras para se proteger.

Ele habita campos e cerrados, vive em casais e, às vezes em pequenos grupos. Foto: Wikiaves

Distribuição Geográfica

Colaptes campestris ocorre desde o nordeste do Brasil ao Uruguai, podendo ser avistado também no Paraguai, na Bolívia, na Argentina e no baixo Amazonas, inclusive no Suriname. Invade a Amazônia vindo do sul, estendendo seu domínio no Brasil oriental, em função dos desmatamentos.

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em As riquezas do Entorno, Fauna & Flora, Meio ambiente. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s