Poema de Fim de Semana: Achado embrulhado em seda

Por Luiz Martins da Silva

Quase mudo mistério,

Atado em vendas.

Muro invisível

De espessas camadas.

 

Ruínas de enigmas

Para lupa de arqueólogo

Decifrando códigos:

Previsíveis arquétipos.

 

Do que um dia foi

Assédio de vândalo,

Hoje, a calma chama

De solenes símbolos.

 

Podes, agora, aproximar

Tuas ondas de ternura.

O lobo se foi, no âmago

Polidez de veterano.

 

O que era arrebates,

Inclinação de gatuno,

Hoje, sentimento uno

De alma-irmã-gêmea.

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura e marcado , . Guardar link permanente.

3 respostas para Poema de Fim de Semana: Achado embrulhado em seda

  1. lilia mares disse:

    Obrigada, Luiz Martins da Silva por este lindo Poema de Fim de Semana

    Curtir

  2. Dulce Maria Baptista disse:

    Mais uma vez, o poeta nos brinda com sua sensibilidade e arte. Obrigada!

    Curtir

  3. Nailda Rocha disse:

    Corrigindo: conexão . Peço desculpas.
    Nailda.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s