Poema de Fim de Semana: Contigo, Bento.

Poema de Luiz Martins da Silva

Contigo, Bento, agora me sinto

Um pouco mais abençoado.

Sigamos juntos para o mesmo sono,

Até que o próprio Deus por fim acorde.

x

Recolho-me também contigo Bento

Ao pouco que este mundo ainda pede,

O ínfimo a se guardar além da pele,

Casulo derradeiro aquém da alma.

x

Também almejo para mim a mínima cela,

Aquela, que no âmago, já nos cinge

Ao umbral que dos desejos se despede,

Às primeiras tonturas da eternidade.

x

Bendigo a ti, Bento, e tua renúncia

A tudo que se nomeie vaidade,

A mais fugaz âncora de um barco

Que não tarda ir-se à outra margem.

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Poema de Fim de Semana: Contigo, Bento.

  1. Roberta Li disse:

    Belo poema, não apenas por ser dedicado ao Bento XVI. Principalmente por nos fazer refletir sobre esse breve momento de passagem. Definindo a nossa real condição humana. Pondo por terra vaidades, arrogâncias, motivos fúteis para discórdias, jogando tudo isso num cesto comum, o das bobagens. A vida é passageira, portanto, devemos encarar alguns problemas e dificuldades sem tanta cobrança (de nós mesmos), com menos seriedade e mais leveza.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s