Poema de Luiz Martins da Silva. Foto de Alexandre Amarante
[Para todas as mães de nossas vidas]

Foram à palavra de origem misteriosa

Buscar no Lácio a que fosse altíssima rima,

Mas por não a achar rimaram-na com rosa,

Imagem pura a se abrir em pétalas divinas..

.

Mater Dei Genitrix, Stela Matutina,

Quantas ladainhas, epítetos, loas

Para a genitora de todos os nascidos,

Trazendo ao colo o próprio Deus menino..

.

Encontram na arca os verbos mais antigos

Parir, nascer, nutrir e a própria Natureza

Brotando-se em robustos substantivos.

.

Que ungem Criador e criaturas na beleza

De quem a tudo e a todos abençoa a um só tempo,

Do minúsculo germe ao Ser maior do firmamento.

Anúncios