Poema de Luiz Martins da Silva. Foto de Beto Barata/AFP

Era a tua pedra,

E a nossa vidraça.

 

Era a tua ira,

E a nossa praça.

 

Era o teu molotov,

E o nosso palácio.

 

Era o teu piche,

E as nossas estátuas.

 

Era a tua barbárie,

E os nossos lemas.

 

És por acaso um filho

Da mesma Pátria em luta?

Anúncios