Militantes do Psol foram agredidos na Ceilândia quando denunciavam irregularidades no GDF de Agnelo
Militantes do Psol-DF se reúnem neste domingo, 30,para anaisar o quadro político local e nacional. Foto: Chico Sant’Anna

Os militantes do PSOL do Distrito Federal participam amanhã, domingo, 30/6, de uma plenária convocada pelo Diretório Distrital especialmente para analisar e debater a situação política por que passam o Brasil e o Distrito Federal.

Segundo o presidente do PSOL-DF, Antônio Andrade (Toninho do PSOL), na plenária serão discutidas iniciativas e propostas que ajudem a ampliar a mobilização popular contra o governo federal e o governo do Distrito Federal, levantando as bandeiras históricas de luta em defesa das principais reivindicações da classe trabalhadora e do povo da Capital e do Entorno.

Nota oficial

Em recente nota oficial, a direção do Psol-DF fez duras críticas ao governador do Distrito Federal e a coligação que governam a cidade. “O Governo de Agnelo Queiroz, do PT, PMDB, PTB e 11 outros  partidos,  tem confirmado em sua gestão a preferência pelas elites no perfil de suas políticas públicas. Eles escolheram continuar a governar para os mais ricos e para todos aqueles que financiaram sua milionária campanha para o governo do DF.  Nestes últimos três anos, Agnelo demonstra um alinhamento com a burguesia, dando seguimento com a política do governo corrupto de Arruda, derrubado nas ruas pela população há 4 anos – afirma a direção regional do partido.

Segundo o Psol-DF, uma “máfia” domina o espaço urbano de Brasília (setor imobiliário, transporte, etc..) e os patrocinadores das Copas das Confederações e do Mundo (FIFA) continuam lucrando, beneficiados pelas isenções fiscais e investimento de dinheiro público, trazendo prejuízos às reais necessidades do cidadão brasiliense. “Estes setores  intensificaram a precarização das políticas sociais essenciais. Exemplo disso é a completa ausência de uma verdadeira Política Habitacional no Distrito Federal” – diz o documento.

O Psol ainda condenou a violência da Polícia Militar, afirmando que o atual governo “faz o uso abusivo da força policial, além de todo aparato da Segurança Pública para criminalizar quem demonstra sua indignação, como as perseguições às lideranças do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e aos integrantes do coletivo Brasil e Desenvolvimento – B&D, também militantes do Psol/DF. A secretaria de Segurança, que já demonstrou incapacidade de lidar com as condições preventivas de defesa da vida e do cuidado com o povo, prioriza uma atuação violenta e repressiva.”

Exoneração

No documento, o partido pede a saída do secretário de Segurança, sob o argumento de que ” não há confiança da população em quem prioriza a violência e o uso da força contra as manifestações populares e permanece distante do diálogo com os manifestantes.”

Na Plenária deste domingo, o partido, que defende a imediata auditagem dos gastos em infra-estrutura para os megaeventos esportivos (Copas das Confederações e do Mundo) e a abertura da caixa preta do Transporte Público do Distrito Federal, cuja licitação encontra-se em suspeição; deve traçar o seu posicionamento e as estratégias a serem adotadas doravante.

 O encontro será das 9 às 13 horas, no Auditório da Fenasps, no Edifício Venâncio V – Loja 28 – Conic, e está aberto a filiados e simpatizantes das bandeiras psolistas.

Anúncios