Do portal G-1

Uma pesquisa realizada pela Secretaria da Aviação Civil da Presidência da República mostrou que o Aeroporto Juscelino Kubitscheck, em Brasília, é avaliado pelos passageiros como o quarto pior do país. O terminal da capital federal ficou atrás apenas de Cuiabá, Manaus e Guarulhos.

Leia também:

Entre os itens que fazem parte do questionário, que é realizado a cada trimestre, estão acessibilidade, conforto, segurança e economia. O levantamento foi feito em 15 aeroportos de dez capitais do país. Cerca de 60 mil usuários foram ouvidos. Os dados se referem ao segundo trimestre.

De acordo com a pesquisa, o valor da alimentação, o desconforto no embarque e a falta de transporte público são os fatores que mais desagradam os passageiros no terminal de Brasília. Os valores praticados na praça de alimentação do aeroporto JK são considerados altos pelos usuários. Uma garrafa de água mineral chega a custar R$ 6.
Dos cerca de 15 milhões de passageiros que passam por ano pelo terminal, 60% fazem conexão. Quem tem de esperar dentro da área de embarque reclama da falta de conforto e das poucas opções de lojas.

Outra queixa é sobre a falta de opção de transporte público para a área central de Brasília. O levantamento mostra que 87% dos passageiros usam táxi para sair do terminal.

Apesar de ser mal avaliado, o aeroporto de Brasília teve melhora de 3% na percepção dos passageiros, em relação ao primeiro trimestre do ano. A partir dos dados da pesquisa, a empresa que administra o terminal tem de montar um plano de ação para reverter o quadro em relação aos pontos com maior rejeição e entrega-lo à Secretaria de Aviação Civil.

A Inframerica, empresa que administra o Aeroporto JK, informou por meio de nota que o terminal passa por reformas, o que atrapalha a percepção real dos passageiros. A secretaria reconhece que a maior parte dos aeroportos passa por reforma e que isso dificulta uma avaliação mais precisa por parte do usuário.

Anúncios