Poema de Luiz Martins da Silva

 

Cadê a criança que estava aqui?

O gato comeu. E ninguém viu.

Cadê o gato? Foi pra balada,

Bailar com ela, outros babados.

 

Cadê a criança que estava aqui?

O lobo levou. E foram, tatuados,

Acampar numa selva de pedras,

Pedras rolantes, de rios de rock.

 

Eis que um dia a criança volta,

Sem gato, sem lobo, sem grilos,

Com aquele sorriso de engana pai.

 

E, então, você nem fala de insônias,

Só papo-cabeça de recontar sonhos,

Sonhos desses de se sonhar juntos.

Anúncios