tindo-bus-2-copy

Por Chico Sant’Anna, com base no Catraca Livre

Enquanto no Brasil, cidades como Brasília insistem no uso de ônibus movido a óleo diesel, na Austrália já existe ônibus elétrico, movido à energia solar, sem uso de redes elétricas nas vias públicas, e, o que é melhor, gratuitos.

O ônibus Tindo está circulando desde fevereiro nas ruas de Adeleide, Austrália. Ele é totalmente abastecido por energia solar, tem capacidade para 40 pessoas sentadas e oferece ar-condicionado e wi-fi aos passageiros. O veículo não cobra tarifa, pois não existe gastos com energia elétrica ou combustíveis.

Além da energia solar, o ônibus tem umatecnologia que se vale da energia liberada nas freiadas. Um sistema de frenagem regenerativa, transforma o impacto dos freios em força, economizando cerca de 30% do consumo.

Leia também:

O veículo faz parte da frota da companhia de transporte público da cidade, que tem por meta reduzir as emissões de carbono ocorridas no transporte público. Desde fevereiro, oveículo experimental já percorreu mais de 60 mil quilômetros, economizando 14 mil litros de diesel e livrando a atmosfera de 70 toneladas de gases poluentes. Ele tem autonomia de 200 quilômetros em condições climáticas normais.

Sem cabos e sem poluição.
Veja aqui a reportagem, em inglês, sobre o ônibus solar

Nem cabeamento, nem combustíveis fósseis: os especialistas são unanimes em apontar que a próxima tendência entre os ônibus urbanos deve ser o uso de baterias elétricas, que evitem as emissões de carbono causadas pela queima de gasolina e diesel e aproveitam até a frenagem, paradas e subidas para gerar energia, como é o caso do ônibus australiano.

O governo do Distrito Federal chegou a conhecer a tecnologia de ônibus elétricos com uso de baterias na China e esperava-se o seu, nem que fosse experimental de ônibus elétricos na renovação do sistema de transporte coletivo. Mas a opção foi pelo velho ônibus a diesel, montado sobre chassis de caminhões.

Mesmo enfrentando vários problemas de infra-estrutura, os ônibus elétricos além de evitar que milhões de pessoas tirem seus carros da garagem para se deslocar nas cidades, contribuem para reduzir os níveis de poluição ambiental. A aposta em tecnologias mais eficientes e limpas é, na atualidade, uma obrigação de todos os gestores de transporte público.

Os ônibus elétricos em teste no Brasil usam uma tecnologia híbrida. Desta forma, ainda emitem uma carga mínima de carbono na atmosfera. O elétrico híbrido tem tração elétrica, porém, este sistema é alimentado por um motor, que tem como função gerar energia. Assim, o ônibus híbrido reduz em 95% a emissão de material particulado, porque a aceleração ativa o motor elétrico, e nunca o motor a combustão, explicam os técnicos.

Anúncios