Flor do pequi 5 menorFotos de Cefas Siqueira. Texto de Chico Sant’Anna, com base no portal Caliandra do Cerrado.

A flor do pequi é exótica, extremamente delicada e frágil e tem um cheiro particularmente curioso. As flores são amarelas e se desgrudam a qualquer vento para longe do caule. Neste desgrudar, soltam uma nódua e deixam no ar um cheiro de esperma. Suas flores são hermafroditas, compostas por cinco pétalas esbranquiçadas, livres entre si, com numerosos e vistosos estames (masculinos).

Flor do pequi 3 menorEmbora seja o símbolo da cultura do estado brasileiro de Goiás, o nome científico do pequi (Caryocar brasiliense;  Caryocaraceae) acabou homenageando Brasília

Ele é muito utilizado na culinária goiana, em especial no preparo da típica galinhada da região, feita com arroz. O sabor e o aroma dos frutos são muito marcantes e peculiares.
Entretanto, os neófitos podem ter acidentes doloridos. O fruto não pode ser mordido nem roido, pois o seu interior é repleto de espinhos que no contato a boca ferem a quem o come. Os acidentados costumam ferir as gengivas e o palato.

Do fruto também pode ser extraído um azeite denominado azeite de pequi. O óleo já foi muito utilizado na fabricação de sabão caseiro pelos moradores rurais do Tocantins, que não tinham fácil acesso ao produto industrializado.

Na fabricação do sabão, a massa do fruto era misturada a um líquido retirado das cinzas de uma árvore conhecida popularmente por “Mamoninha”, essa mistura era levada ao fogo e produzia um sabão vegetal de cor preta brilhante, bastante macio, que era usado para lavar roupas,utensilios e principalmente para a higiene pessoal,pois segundo as pessoas que o fabricavam o produto fazia bem para a pele e cabelo.

Metais

Segundo a wikipedia, recentemente, foi descoberta uma propriedade do óleo de pequi que, antes mesmo de poder ser explorada pelo Brasil, já foi patenteada por japoneses. Ela foi recentemente batizada de CSL (chemical strengthener layer). Segundo as pesquisas, basta adicionar cinquenta mililitros de óleo de pequi a 4l de óleo mineral para que se consiga o efeito da superdureza em qualquer material metálico, aumentando, inclusive, a carga de molas se for aplicado uniformemente. Existem testes em motores com cabeçotes totalmente originais girando mais de 10 000 rotações por minuto sem indícios de fadiga ou quebra.

Você gosta de flores? Então, leia também:

Flor do pequi 4 menorO pequizeiro floresce durante os meses de agosto a novembro, com frutos madurando a partir de setembro (normalmente novembro) até o início de fevereiro.

Trata-se de uma árvore que habita cerrados, cerradões e matas secas ao longo de todo o bioma do Cerrado, fazendo se presente no Cetro-Oeste do Brasil.

Não há comprovação cientítifica da origem dos pequizeiros, mas sabe-se que estão as margens do rio Araguaia e nas regiões gerais da Bahia, Goiás e Minas Gerais e, é claro, no Distrito Federal, embora o crescimento urbano de Brasília tenha dizimado vários pés.

O pequizeiro tem aproximadamente oito metros de altura e sua copa pode chegar a oito metros de diâmetro, parecendo um grande guarda-chuva, sendo que queimadas recorrentes podem manter o pequizeiro na forma de subarbusto, em campos sujos.

Assim como outras árvores do Cerrado, o pé de pequi possui tronco e galhos tortuosos. Seus frutos, quando maduros, chegam a 14 centímetros de comprimento por 20 centímetros de diâmetro, podendo pesar até 300 gramas.

Infelizmente, várias espécies nativas do Cerrado, entre elas e pequizeiro, estão sendo queimados em fornos clandestinos com o objetivo de produzir carvão para indústrias siderúrgicas da região.

Música

Flor do pequi, inspirou Tavinho Moura, que compôs música – ainda sem letra – em homenagem a ela, interpretada aqui por Paulo Freire no álbum: Rio Abaixo – Viola Brasileira.
Para ouvir a música, clique na imagem do disco.

Culinária

Clique na imagem e aprecie uma receita de como cozinhar e fazer um bom prato do pequi .

Anúncios