Obras no Aeroporto JK inundam casas no Lago Sul

Inundação lagoLiteralmente, uma piscina de lama. Na verdade, um mar de lama.

Foi neste cenário que os moradores da QI 1, conjunto 4, no Lago Sul passaram o Natal e, tudo indica, vão passar a virada para o Ano Novo. Um reveillon que vai ficar na memória de todos.

Inundação lago2Na quadra, o lado das residências com numeração par tem as áreas verdes das casas olhando para a pista de posuo e decolagem do aeroporto internacional de Brasília. Com a privatização, vencida pela empresa argentina InfraAmérica,  obras e reformas passaram a ser executadas nas imediações da pista. Apenas uma cerca de arame farpado separa as residências do vai e vem de aeronaves.

A combinação destas obras com as recentes chuvas trouxe este trágico cenário para as festas de fim de ano dos moradores. É o caso do casal Sarah e Mauricio Moraes.Pioneiros em Brasília e no Lago Sul, foram surpreendidos por três avalanches de barro.

A primeira inundação foi na sexta-feira, 20/12, e a outra, no dia seguinte. Segundo Maria Moraes, filha do casal, a desta sexta-feira 27/12, foi a pior levando um bolsão d’água e lama para dentro de casa.

Inundação lago3O barro invadiu a área verde, o jardim da casa, tomou conta da piscina. Sem ter o que impedisse a passagem, entrou pela porta da frente, atravessou toda a residência, para sair pela porta dos fundos, na garagem.

Móveis, sofas de tecidos, até a árvore de Natal foi tomada por uma grossa lama vermelha.

Aeroporto Pista vista aérea Google

Residências ficam bem próximas à lateral da pista de pouso e decolagem do Aeroporto JK, em Brasília.

Pelo menos dez casas foram atingidas e ainda estão vuneráveis. Todas elas estãovoltadas para a pista principal de pouso e decolagem, como pode ser visto na foto ao lado.

Os moradores temem que uma nova chuva forte, como a que aconteceu na madrugada do dia 27, possa provocar um novo tissunami de barro.

Os prejuízos ainda não foram contabilizados, mas a InfraAmérica, empresa operadora do aeroporto JK, prometeu reparar todos os danos e disse que está fazendo uma vala e um muro de contenção para evitar que este problema se repita. O problema é que desde a primeira inundação, no dia 20, esta é a providência anunciada e a cada chuva, uma maré de lama toma conta das residências.

Alguns moradores tiveram que procurar casas de amigos e parentes, pois suas residências ficaram inabitáveis. Outros permanecem no local. O certo é que as próximas noites dos moradores do conjunto 04 da QI 1, do Lago Sul, vai ser de insônia, com um olho na previsão do tempo e outro nas obras do aeroporto.

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Aviação, Brasília - DF, Intervenções Urbanas, Lago Sul, Moradia & Habitação e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s