2) Alcântara dez 2013 (123)Poema de Luiz Martins da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

 

I

No primeiro de uma dúzia

Renovações de promessas,

Insistir no sonho que somos.

 

II

De tudo o que é desejado,

(Mas nem tudo confessamos,)

Melhor um baile de máscaras.

 

III

Volta a vida, voltam as aulas,

E os impostos da República

Que temos por ilustrar.

 

IV

Tempo de se abrir um céu

De esfuziantes virtudes,

Constelações de brilhantes.

 

V

Casar-se por mais uma vez

Com todas as noivas do mundo,

Perpetuar nossos nomes.

 

VI

Primeiro mês dos sem erre,

Fartos mares de sardinhas

E santos com festas de milho.

 

VII

Estação de calafrios,

É o inverno de nós mesmos,

De tudo que não fizemos.

 

VIII

Gosto sequer se discute,

Mesmo que a terra vermelha,

Implore perdão, de pés juntos.

 

IX

Com muita desenvoltura,

Volta a Natureza ao estilo,

Cartela de todas as flores.

 

X

Outubro, apelido de Outono,

Ou seriam irmãos gêmeos…

Oriente e Ocidente?

 

XI

A melhor prova dos nove,

Geometria de lápides,

Certezas bem decoradas.

 

XII

Volve a nós o mesmo ciclo,

Sagradas festas pagãs,

Todos podem ser criança.

Anúncios