Foto de TT Catalão
Foto de TT Catalão

Por TT Catalão

Glênio Bianchetti morreu na madrugada desta terça-feira, 18/02, aos 86 anos.

Gravador, pintor e ilustrador de ofício e um “brasiliense” (nasceu em Bagé-RS) construtor do imaginário artístico da Brasília profunda. Um dos principais criadores do Museu de Arte de Brasília – MAB, hoje fechado sob pesada omissão estatal de muitos governos.

Companheiro de Ailema, educadora, vanguarda da educação íntegra e integral que praticou na extinta escola experimental Cresça.

Serigrafia Eva, de Glênio Biancheti, 1970
Serigrafia da coleção Eva, de Glênio Biancheti, 1970

Sempre foi solidário nas lutas pela melhoria da cidade contanto que fosse melhor para mais gente. Quem sabe as “otôridades” comovam-se definitivamente e reabram o MAB uma de suas obras mais coletivas?

Deixa também sua arte feita em luz e cor.
Amigo e irmão. Sereno na expressão e radical artivista quando a mediocridade ameaçava a sensibilidade.

Nosso último contato foi na casa de Yara Magalhães em uma ciranda de celebração pelo fogo das línguas inventvas do Espirito Santo no dia 25 de maio de 2012  (nas duas unicas fotos que fiz ele estava ao lado de Bené Fonteles e Ailema).

Um pedaço da carne viva de Brasília que parte para fortalecer a utopia da cidade em seu espírito.

Gratto, amigo!

TT Catalão

Anúncios