Poema de Fim de Semana: Licor de Penumbra

Guadalajara - esculturaPoema de Luiz Martins da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

 

Eros satisfeito, músculos aplacados,

De volta à sua dormência de Cupido,

[Anjinho roliço, flecha disparada],

Novelo ruminando ninho, tecendo calma.

 

Hypnos se achegando lentamente,

A se espraiar como num efeito anestésico.

Baco acredita que um Fauno derreado

Merece ainda um último gole apetecido.

 

Mas é tão somente o lacre de uma jornada,

Mais uma de um Ícaro estatelado,

Depois de fainas, sobrevoos e devaneios.

 

Lar, doce lar, pouco menos que um Olimpo.

Uma existência que se vai, quase indormida.

No horizonte do silêncio aeroplanos vagalumam.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s