Texto de Chico Sant’Anna, com base na WikiAves, a Enciclopédia das aves do Brasil. Fotos de Evando F. Lopes

O Bem-te-vi-rajado (Myiodynastes Maculatus) é uma ave passeriforme da família Tyrannidae.

Também conhecida popularmente como Soluço, Bem-te-vi-escuro, bem-te-vi-cavaleiro e bem-te-vi-de-cabeça-rajada, esta espécie pode ser confundida com o bem-te-vi-pirata (Legatus leucophaius) e com o peitica (Empidonomus varius), mas é maior que os dois. É uma espécie geralmente solitária e quieta, cantando com mais intensidade ao entardecer ou nas primeiras horas do dia.

Estado de Conservação
(IUCN 3.1)

Pouco Preocupante

A maior das espécies rajadas da família, destaca-se pelo enorme bico e cabeça desproporcional ao corpo. É do tamanho do bem-te-vi. As listras superciliares brancas não se unem na nuca, como nas outras espécies de plumagem rajada.

Bem-te-vi rajado Evando Lopes
O Bem-te-vi rajado passa a maior parte do tempo pousado em poleiros nas árvores das bordas de matas secundárias, florestas de galeria ou matas de várzea.

O Bem-te-vi-rajado alimenta-se de insetos que apanha em vôo a partir do poleiro e também de pequenos frutos como o da canela-amarela, sendo um provável dispersor de sementes. Ainda, gostando muito das bananas maduras da embaúba. Adora cigarras e para come-las ele faz os seguintes passos: primeiro ele as apanha em pleno voo, logo em seguida bate a cigarra repetidas vezes em um galho até suas asas cairem, depois joga o corpo da cigarra para cima e a engole.

Hábitos e reprodução

O Bem-te-vi- rajado habita quase todo o Brasil, mas se faz mais presente nas Regiões Sul e Sudeste. Ele realiza migrações sazonais, indo para as latitudes mais baixas no inverno. Ele habita a parte interna das matas ciliares, cerradões, cambarazais e matas secas.

Bem-te-vi rajado Evando Lopes2Ocasionalmente, aparece em áreas de cerrado denso. Não costuma ficar em poleiros expostos, como as outras espécies rajadas. Passa a maior parte do tempo pousado em poleiros nas árvores das bordas de matas secundárias, florestas de galeria ou matas de várzea.Apesar do tamanho, confunde-se bem com a folhagem, usando as diferenças de luz e sombra da região abaixo da copa. Muitas vezes, é difícil distingui-lo nesses locais. Vive em casais ou grupos familiares, muito agressivos com outros bem-te-vis-rajados.

O chamado de contato mais usado e capaz de denunciá-lo parece um soluço agudo, levemente anasalado, repetido várias vezes. A(s) outra(s) ave(s) responde(m) e pode(m) encher a mata com esse som. Sua vocalização consiste em uma série de guinchos repetidos.

Veja e ouça aqui o canto do  Bem-te-vi-rajado

Na Região Centro-Oeste, em especial no Pantanal, costuma chegar de seu fluxo migratório no final de julho/agosto para iniciar logo reprodução. Como ninho, usa ocos de árvore, geralmente feitos por pica-paus. Também usa ninhos com entradas laterais feitos por outras aves, como a surucuá, cupinzeiros arborícolas. Para forrar o ambiente, leva folhas e capins para a cavidade. A fêmea é encarregada tanto da construção do ninho quanto da incubação, que leva 16 ou 17 dias. O casal se reveza na alimentação dos filhotes que deixam o ninho com 18 a 21 dias após a eclosão dos ovos.

Gostou da leitura?
Abaixo, 39 outras aves comuns à Capital Federal.
Clique no enlace e confira. 

Anúncios