Poema de Fim de Semana: Descuídos Patéticos

Por Luiz Martins da Silva

Depois da cheia, vazante;

E, no lastro das estrias,

Anjos roliços  distraem

Geometrias errôneas.

 

O artista as recolhe

[Ensaios de ondas no gesso]

Recados em código, língua,

Aragem ascética de Zeus.

 

Deus quando sonha é criança,

Dono de prelo e de prensa,

Pensa serigraficamente

Em folhas de nuvens e peixes.

 

Óleos de efeitos, poças,

Estranhos aromas de ósculos.

São quase húmus de incenso

Das faces de afetos próximos.

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s