Cioso pela ética na política, o Psol-DF foi o único partido do DF que teve a coragem cívica de questionar a legitimidade da participação de Arruda e Jaqueline no processo eleitoral.

A impugnação de José Roberto Arruda e Jaqueline Roriz pelo TRE-DF,na noite de terça-feira, demonstra que a Lei da Ficha Limpa, não é uma “leizinha” qualquer como o ex-governador, pego embolsando alguns milhares de reais, quis demonstrar.
A decisão do TRE reforça o desejo popular de que a política brasileira não tenha mais fichas sujas, que quem entre na política entre para servir ao próximo e não a si mesmo.
Teimosos, Arruda e Jacky Roriz vão recorrer ao TSE. A expectativa de toda a sociedade e em especial do Psol-DF – único partido do DF que teve a coragem cívica de questionar a legitimidade da participação de Arruda e Jaqueline no processo eleitoral – é que o TSE venha banir por oito anos estes dois personagens da triste história política de Brasília.

Leia também:

A saída definitiva de Arruda do páreo eleitoral deve contribuir para embolar ainda mais o prognóstico eleitoral deste ano no DF.
Certamente, os eleitores de Arruda não devem migrar para o atual governador Agnelo Queiroz. Assim, deverão se dividir entre as preferências dos demais candidatos. É quase como se o processo começasse do zero.
Mas o grande vitorioso dessa situação é o cidadão do Distrito Federal que fica livre de um câncer que corroía as entranhas da política local.
Cabe agora a este cidadão, a este eleitor, refletir bem antes de votar e não escolher alguém que possa representar a volta da política suja à Capital Federal.

Chico Sant’Anna
Jornalista e candidato a deputado distrital pelo Psol-DF

Anúncios