Poema no meio da semana: Danças

Poema dançasPor Ana Rossi

na dança daquela noite, olho o que restou

sigo no compasso, signo da derradeira nota

e, colando ao que restou, levanto o pé e vou

para o meu lugar, espaço em que sou-não-sou

 

na dança daqueles anos, vejo o que ficou, o que

restou, na derradeira dança, na derradeira noite

da derradeira que fui, daquela que não sou mais,

daquela de quem ainda me lembro, porque sempre

 

na dança daquele salão, ouço os passos que ressoam,

são poucas as pessoas, mas que barulhão ! são gritos,

são “eu”, “eu”, “eu”, e mais “eu” que escoam pelas

 

peles dos que já se foram, e a única-única solução é

levantar os pés, sacudir a poeira, sem tremor, sem

ardor, e deixar apenas o ruído estancar por si só

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s