Poema de Fim de Semana: Relógio de Lua

Argentina-Chile de-2009 203Poema de Luiz Martins da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

Nu/o rosto da noite/se veste de luz/
Escuro se despe/em dias ensolarados

                               Wellington Pereira

Certa vez eu li as horas,

Num lauto relógio de pedra.

Era um frio de molhar lhama,

Vertigens de Machu Pichu.

 

Fui a lavras de outras eras,

Rotinas de um tempo inca,

Marcante de todas as horas,

Vontades de um certo Inti.

 

Mas vislumbrei outro deus,

Não na pedra, mas nos seios,

Peitorais de prata pura

Nas donzelas do futuro.

 

Fiz para um tempo lendário

De um império interior

Um relógio marcador

De uma Lua literária.

 

A mim, redivivo de insônia,

Espero e temo o sono certo,

Pois pode ser que por flerte

Viva a vida em parcimônia.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Poema de Fim de Semana: Relógio de Lua

  1. Nailda Rocha disse:

    Como não amar a vida, desperta pela beleza dos teus versos, mestre?

    Fiz para um tempo lendário

    De um império interior

    Um relógio marcador

    De uma Lua literária.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s