Poesia no meio da semana: Emoção plastificada

Emoção Plastificada Ana RossiPor Ana Rossi

emoção plastificada, congelada, congregada,

degredada nos solos do dia-a-dia, queimada,

agregada que nada diz, que nada faz, que sem-

pre foge para mais longe, para o nada de nada

 

emoção plastificada, empacotada, tão compor-

tada, ei-la aqui, toda pronta para ser mostrada

e de tão comportada, ela não é criticada, passa

como sendo civilizada, na emboada das crises

 

emoção enquadrada, arrematada, ela, de tão ine-

x-istente, ela se desfaz feito nuvem e vai longe

num saudar seco, sem nome, nem gesto, nem…

 

porque a emoção plastificada nada mais é que

um pacote arrumado, pacote vazio do nada, e

mesmo assim, ela ainda blefa e nos alcança

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s