sendas

Por Ana Rossi

No asfalto do cerrado caminhando vou

seguindo o meu coração aberto no peito

coisas da vida daqui onde a felicidade

chega e vai na senda do dia que fica indo

 

pelos caminhos do cerrado sigo a minha senda

olhando em torno, passeando vou no meu ritmo

e quando menos espero, sinto o algo que virá

não sei como, nem quando, mas a caminho

 

no verão da vida, minha fonte é uma só

uma tristeza de não poder mudar o que quero

mas sigo, signo aberta ao que ainda mais quero

 

no verão da minha vida, olho em torno de mim

meus olhos tremem, sei que continuarei assim

escolhendo sendas, escolhendo caminhos que faço.

Anúncios