Por Luiz Martins da Silva

Rima de pai é pão,

Branquinho, moreno, torrão,

De açúcar, rima de mãe é mel.

 

Berço, gangorra de céu,

Balanço de palrar colcheia,

Até os arcanjos dormem.

 

Parlenda de forno é milho

Milagre, pendão, espiga;

Trigo de apostolado, ceia.

 

Mártir não tem dó, tem Deus.

Ceres, farta prole de cereais,

Paisagem de pais são filhos.

 

Do barro não se vem sozinho.

Tudo que chega a ser abençoado,

Um dia, alado, chega ao Shangri-Lá.

Anúncios