Exposição A Luz Que Não Vemos traz um toque glacial às paisagens do Brasil

CoqueiroPor Chico Sant’Anna

Passada a folia de Carnaval, uma dica cultural é a exposição fotográfica A Luz que Não Vemos, com trabalhos de Frederico Evaristo. A mostra estará montada em Taguatinga, na Galeria Olho de Águia, de 18 fevereiro a 10 de março de 2015.

A técnica fotográfica utilizada por Frederico Evaristo se vale do uso da luz infravermelha, tradicionalmente aplicada com propósitos militares desde a Segunda Guerra Mundial para detectar abrigos camuflados no escuro. Atualmente a luz infravermelha tem seu uso difundido nas mais diversas aplicações, como em projetos de segurança e vigilância noturna ou então em mapeamentos florestais e urbanos.

Os efeitos são indescritíveis. Dão a sensação de que as paisagens tropicais viraram cenas glaciais. A luz é refletida e absorvida de maneira mais significativa por fontes que emitem calor (seres vivos), embora também seja produzida por meio de fontes de luz artificial. Mas nem o nosso olho nem mesmo sensores fotográficos comuns são capazes de captar este espectro de luz.

Vista de São PauloAssim, as imagens presentes aqui só se tornaram possíveis por terem sido captadas e finalizadas com o uso de equipamentos especiais e registradas em longa exposição de 30 segundos à luz de dia, em pleno verão. O céu azul claro, por exemplo, quase dispensa por inteiro a luz infravermelha, enquanto a grama e as folhas verdes a refletem em grande quantidade, resultando numa aparência branca e brilhante, como se fosse neve.

Frederico Evaristo tem como marca fundamental em seu trabalho a impressão de sua personalidade.

Foto árvoreAs imagens do Frederico nos catapultam para outra dimensão e que seja assim. Sua inquietação com a vida se traduz em imagens altamente poéticas, questionadoras e com elementos surpresa sempre desconcertantes do cotidiano, que nos cercam, do que está ao nosso alcance, mas nem sempre enxergamos. O Frederico faz isso pela gente. Ele vê, enxerga, traduz e nos entrega objetos, cenas, pessoas poetizadas e lúdicas. Tudo com um pingo de razão: necessária – afirma José Carlos Honório, curador da Livraria Cultura.

A abordagem artística  presentes nas fotografias que formam a mostra captam um nível de abstração quase surreal, permitindo uma visão diferente do mundo ao nosso redor, como se estivéssemos observando um universo onírico. As cores  e tons produzidos provocam os sentidos e oferecem uma nova perspectiva da cidade de São Paulo.

casa de chicleteGaleria Olho de Águia

A Galeria Olho de Águia, criada em 2002, na Praça da CNF , é um ponto cult de Taguatinga Norte. Miscigenada ao bar Faixa de Gaza. Ambos são de propriedade do fotojornalista Ivaldo Cavalvante. Idealizada para abrigar o acervo do seu criador, o espaço foi, pouco a pouco, tomando forma e se tornou um local de trocas de ideias e de experiências sobre o mundo da fotografia. A galeria tradicionalmente atu no campo da fotografia, cinema e novas mídias. Em 2013, deu início ao Projeto Artistas do Bairro, onde convida, mensalmente artistas da comunidade para realizarem exposições no espaço da galeria durante 30 dias, dispondo assim, a difusão e comercialização das obras para o público da cidade. O objetivo é contribuir para a valorização e disseminação do artista e incentivar a formação de estudantes de artes plásticas e todas as mídias.

Serviço:

  • Exposição “A Luz que Não Vemos”
  • Data: 18 fevereiro a 10 de março de 2015.
  • Local: Galeria Olho de Águia
  • Endereço: CNF O1 Edificio Praiamar loja 12 – Taguatinga Norte
  • Classificação indicativa: Livre
  • Entrada: Franca
  • Informações: 61 99962575
  • Contato com autor: 11 97299 7030
Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Fotografia, Taguatinga - DF e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Exposição A Luz Que Não Vemos traz um toque glacial às paisagens do Brasil

  1. Luiz Queiroz disse:

    Muito legal.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s