Águas de Março‏

2) Alcântara dez 2013 (167)

Texto de Marcos Terena. Foto de Chico Sant’Anna.

 

Quando o colonizador aqui chegou, cansado, suado, molhado e sujo, nas costas brasileiras, talvez tenha respirado um ar “selvagem” como é o espírito da Mãe Terra… Um lugar jamais visto por aqueles aventureiros e seus barcos de trocas…

Hoje, o mundo moderno prevê que os últimos paraísos com tais sintomas estão concentrados nos territórios das primeiras Nações, os Povos Indígenas.

O Brasil e todos os 200 milhões de pessoas deveriam pensar no que “restou” e no que vai restar para as futuras gerações….. Inclusive, o novo Congresso Nacional e suas ambições ou ideais.

Leia também:

Lembro quando minha professora de História contava a história daquele caçador, acho que era um dos Caramuru… quando ele “inteligentemente” colocou fogo na cachaça e os indígenas, que não conheciam aquilo pensavam que era água… Uma ameaça que não valia ouro e nem pedras preciosas…

Naquele tempo nossos ancestrais já sabiam o valor da água, dos rios e das fontes…

Qual a criança do colonizador que tem aprendido algo assim???

Este ano, o Grande Espírito mostrou isso aos paulistas, mineiros e kari-ocas…. Todos, governo e sociedade, levaram um susto… As águas começaram a secar… a chuva não dava conta… e as torneiras dos grandes centros não traziam mais a água…

Em Novembro, vamos debater isso com os Povos Indígenas e nossa ciência, na COP 21, em Paris… em nome dos Câmbios Climáticos. Mas, até lá, é bom pensar que não podemos deixar de tomar banho, tomar café, tereré, suco, água… mas também nossos animais e nossas plantas.

Água é Vida!

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Áreas verdes, Brasil, Desenvolvimento Urbano, Meio ambiente, Minorias sociais, Povos indigenas e marcado , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Águas de Março‏

  1. Pingback: Itiquira: Fartura das águas – mananciais que restam | Brasília, por Chico Sant'Anna

  2. Pingback: Nascentes do Distrito Federal: um tesouro desconhecido e agredido | Brasília, por Chico Sant'Anna

  3. Pingback: Justiça impede criação da Rodrigolândia | Brasília, por Chico Sant'Anna

  4. Pingback: Agronegócio agrava crise hídrica no DF | Brasília, por Chico Sant'Anna

  5. Pingback: Racionamento: e agora?! | Brasília, por Chico Sant'Anna

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s