Poema no meio da semana: Saci Pererê, nosso sapeca

SaciPor Ana Rossi

Saci Pererê, escondido nas matas

Olha, depressa, montado num cavalo

A nuvem passa,

Ventava muito perto da mata,

Que confusão!

 

As galinhas saíram assustadas,

A porteira do curral abriu-se,

As pombas voaram sobre as

Crinas dos cavalos

A cachorrada latiu sem parar.

 

Lá vem o Saci sapeca, bagunceiro,

Mas ninguém o viu,

Só ficou o rastro,

Que não tem cheiro,

Na poeira daquelas bandas

 

Lá vai o Saci aprontando mais uma

O feijão com gosto de doce,

A água derrubada no chão,

A cebola queimada na panela,

A gaveta do armário aberta,

O milho que não estourou.

 

Que confusão !

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Folclore, Literatura e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s