SaciPor Ana Rossi

Saci Pererê, escondido nas matas

Olha, depressa, montado num cavalo

A nuvem passa,

Ventava muito perto da mata,

Que confusão!

 

As galinhas saíram assustadas,

A porteira do curral abriu-se,

As pombas voaram sobre as

Crinas dos cavalos

A cachorrada latiu sem parar.

 

Lá vem o Saci sapeca, bagunceiro,

Mas ninguém o viu,

Só ficou o rastro,

Que não tem cheiro,

Na poeira daquelas bandas

 

Lá vai o Saci aprontando mais uma

O feijão com gosto de doce,

A água derrubada no chão,

A cebola queimada na panela,

A gaveta do armário aberta,

O milho que não estourou.

 

Que confusão !

Anúncios