Poema de Fim de Semana: Temperanças

Temperantia, da autoria de Luca Giordano

Por Luiz Martins da Silva

 

Sem mantras de lamentos,

Eles não têm a força de um uivo.

 

Converse com os seus elementos,

Ouça-os em ressonância consigo.

 

Jamais diga: não posso,

Sob pena de peia invisível.

 

Sem conselhos como eu faço,

A não ser que o sabor saiba.

 

Mas, com alguma licença,

Seja um giz de esperança.

 

Salvar a si próprio mais cedo,

Prepara um cesto de nozes.

 

Viva antes de cantar lenda,

Assim haverá Sol na clave.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Poema de Fim de Semana: Temperanças

  1. Nailda Rocha disse:

    Mestre. Que encanto! “Ser um giz de esperança”…
    Obrigada.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s