Poema de Fim de Semana: Grilos

grilosPoema de Luiz Martins da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

I

Num Planeta de grileiros,

Eles querem quase nada,

Tão só um cantinho oco,

Para os seus trinos, cricrilos.

 

II

Esconde-esconde, mistérios,

Mistificações de fêmeas,

Quando de noites feéricas,

Da Amazônia ao Saara.

 

III

Soube do imperador menino,

Não tendo mais dinastia,

Apegou-se, amuleto-bichinho.

Na gaiola, toda a China.

 

IV

Asa Norte de Brasília,

Oficinas tiram teimas,

Imaginem, que infâmia!

Detestam os maquinários.

 

V

Tampouco latejam cabeças,

Por mais que insistam, insetos.

O que insinuam é um sestro,

Tique de neuróticos anônimos.

 

VI

Admiro-te em miragens

Da ciência quando cisma,

Mesmo no cotidiano,

De que algo está estranho.

 

VII

Findo o sétimo exercício,

Do verbo, ofício, cantiga.

Se se sabe mais do amigo,

Pois, sem segredo, fidalgo!

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s