boloPor Ana Rossi

Lá onde a lua não tem mais cara,

Lá, quando as crianças vão dormir,

Lá, onde os telhados esbarram,

Lá, bem lá longe, vivia a Cuca.

 

Com uma cara de mulher e um

Corpo de jacaré, lá vai ela,

Amedrontando crianças peraltas,

Nas noites cheias de pleno luar.

 

Pedrinho e Narizinho, na sala com

Dona Benta, preparando o jantar.

Um barulho! Cruz Credo! Estrepolias no ar.

 

Vamos todos, lá no telhado, para brincar,

E a Cuca já prestes a amedrontar,

Foi embora para dormir sete anos sem penar.  

 

Anúncios