CurupiraPor Ana Rossi

Com os cabelos laranja-esverdeados, Curupira

aparece feito um ornamento celeste na terra do

leste, ele vai, segue o seu caminhar, nas asas do ar

Curupira, leve, vai, no seu cantar sem soluçar.

 

Curupira, amigo das aves e dos bichos, não deixa

a desejar na cabeça da noite, na entrada do dia,

no afoito da manhã que se levanta, devagar, se

espreguiçando, afoito, sobrevoando segue e vai.

 

Um barulho! Curupira logo chega, um incêndio,

uma faca, uma notícia, um caçador, que horror!

ele vai assustar mais um no finalzinho do dia.

 

Com seus pés ao contrário, Curupira vai

seguindo o seu caminho, na esperança de

sempre proteger os animais, mais e mais.

Anúncios