Por do sol - reynaldo barbosa LimaPoema de Luiz Martins da Silva. Foto de Reynaldo Barbosa Lima

I

Hoje, não insistirei.

Já repousa melhor em mim,

A sua ausência.

II

As frutas em casa,

Na mesa e no quadro,

Nós é que precisamos delas.

III

A aurora, sim, veio de novo.

E, com elas, os gorjeios.

Desmancho-me em palavras.

IV

Quando, enfim, o desejo,

Tardio, se apresenta,

Já é outra, a maresia.

V

Uma mulher sentencia

A um homem eternidades:

“Por favor, me esqueça”.

VI

Pensar, ilusão de ter.

Ter, insensata ilusão.

Melhor não pensar.

VII

Ser, sim.

Se formos [sem fôrma]

Para além de nós.

Anúncios