Poema de Fim de Semana: Anos Dourados

Por Luiz Martins da Silva

Tardes, quase crepúsculos.

A cidade tinha um coreto

(hoje, mudo, mas, ainda está).

As pessoas circundavam.

Olhares, sorrisos ambulantes.

 

Antes da Hora do Angelus

(Ave Maria de Schubert)

E até A Voz do Brasil,

Dedicatórias autofalantes:

Com amizade e consideração.

 

Ray Charles era um dos gemedores:

I can’t stop lovin you.

Mas, o twist já insistia novidades,

Requebros desfazendo sobrancelhos.

As saias já se iam encurtando.

 

Crônicas tardias dão conta

De que muitos ainda vinil

E até casados de novo.

Hoje, um Brasil-saudade.

Álbum verde-amarelo, ocre.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Poema de Fim de Semana: Anos Dourados

  1. Nailda Rocha disse:

    Que maravilha! Quanta beleza, mestre! Quanta beleza num fim de tarde fria de domingo… Obrigada!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s