Poema de Fim de Semana: Agradecimento do Godê

2015-07-21 22.50.09Por Luiz Martins da Silva

 

Godê é uma paleta,

Mas, cadê a cor da palha?

É uma blusa gola rolê

De uma cor antiga, grená.



Um godê pode ser mistura

Até se encontrar a cor

Que não se sabia de cor

Mas que é a pele da lenda.



Um godê não se combina,

Mas, pode ser uma saia

De pernambucana retada

Possuída de maracatu.



Um godê pode ser rendado

De uma florada de serra

Que se revela no caos

De uma aguada ao acaso.



Um godê é um garçom,

Malabar, copos servidos

De bebedeiras sem fim

Num bar de beira de estrada.



Um godê pode ser mais

Até a manga chupada,

Do um ao último fiapo

De namoro em madrugada.



Última estrela da manhã,

Antes que a noite se renda.

Bem pode ser um brocado

Da aura de um novo dia.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s