Novo planeta terraPor Luiz Martins da Silva

I

O telescópio avisou,

Há sinais, sim,

De uma Terra II,

Menos aterradora.

II

Assim falou o retor,

Claro na sua retórica:

Ele veio para todos

Terem vida em abundância.

III

Pois, também a melancia,

Plácida, lá, no seu canto:

Canto mais encantador

É o do recato de um regato.

IV

Vertigem, descobrir

Que é preciso ir a milhões

Para não se encobrir

Quanta vida, do meu lado.

V

Olho, vivo, coração!

Astronomia interior

De nomear emoções

Infinitamente inomináveis.

VI

O abominável será fim,

Quando as trombetas tinirem

[Como cantou o Raul]

Para além de dez mil anos.

VII

Nem Gênese,

Nem Apocalipse,

Nem eclipse. Só a luz,

Ainda este ano, já.

Anúncios