Gato-4Por Ana Rossi

Em um reino distante, um sapateiro muito pobrezinho,

chamado João Donizete, fazia sapatos; todos achavam ele

um fracote; e sua barriga não parava de roncar de fome, ele

pegou um pedaçinho de queijo, e foi cozer mais um sapatinho.

 

As moscas pousaram no queijinho, e quando ele viu, com

uma única lambada, matou sete de uma vez; que sou fracote

nada! e ele escreveu com grandes letras bem visíveis em toda

a extensão do cinto, para ser visto: “João Donizete que matou sete”

 

e, com o pedacinho de queijo e um passarinho no bolso, João

Donizete que matou sete caiu no mundão, andando, andando;

na curva da estrada, encontrou um valentão, que leu o que estava

escrito no cinto; e para se exibir, pegou uma pedra, e esmagou-a

 

e desafiou João Donizete que matou sete; João pegou o pedacinho de

queijo que trazia no bolso e esmagou-o até gotejar; não contente,

o valentão desafiou-o novamente, atirando uma pedra ao longe; mas

rápido no gatilho, João tirou o passarinho do bolso, que voou longe;

 

o valentão, meio vesgo, não percebeu o que acontecera, e admirado,

convidou João Donizete mata sete a dormir em sua cama; mas João

sentiu frio e dormiu encolhidinho num cantinho; altas horas da

madrugada, no meio da escuridão, o valentão bateu na cama,

 

e pensou ter matado João Donizete;  no dia seguinte, quando joão

apareceu, o valentão fugiu gritando: “João Donizete que matou sete”

a notícia se espalhou pelo reino afora; o rei chamou-o, e prometeu

dar a filha em casamento se ele matasse os três gigantes maldosos;

 

João Donizete aceitou a proposta; e foi atrás dos gigantes com os bolsos

cheios de pedras; João encontrou-os dormindo debaixo da árvore; ele

subiu na árvore e jogou a primeira pedra no nariz de um deles; ei, você!

lá vai um tabefe; o que foi? não fiz nada! depois se acalmam e dormem

 

João Donizete joga outra pedra no nariz do gigante; aí, a confusão foi tanta

que eles acabaram por se matar; feliz, João Donizete voltou para ter a mão

da princesa; mas o rei impôs outra condição: matar o bicho de sete cabeças!

João Donizete bolou o plano, e encontrou o bicho na mata, e saiu correndo;

 

o bicho de sete cabeças correu atrás, irritado que só! e João foi direto para

um castelo abandonado, e entrou pela porta, ligeirinho; o bicho quis entrar

também e ficou preso! todos souberam que João Donizete matou sete pegara

o bicho, e João se casou com a princesa; mas ela descobriu sua profissão,

 

e o rei decide matá-lo à noite;

mas João Donizete que matou sete ficou sabendo,

e naquela noite não dormiu, à espreita;

quando ouviu barulho na porta falou grosso,

e os soldados espantados com os feitos de João Donizete fugiram; assim 

João Donizete que matou sete se tornou um grande rei até o final da vida.​

Anúncios