Obras do governo federal devem movimentar construção civil do DF

Com base no G-1

 

 

Esplanada dos Ministérios deve ganhar 15 mil novos servidores transferidos de outros endereços da Capital Federal.

 

Para reduzir as despesas com aluguel de imoveis particulares, o governo federal pretende ampliar suas instalações na Esplanada dos Ministérios. A decisão deve movimentar a combalida indústria da construção civil do Distrito Federal, mas deve adensar ainda mais a já concentrada Esplanada dos Ministérios. As estimativas apontam para um crescimento da população de servidores públicos da ordem de 17 mil pessoas.

Anexos na Esplanada dos Ministérios
A previsão do ministério do Planejamento é de construir mais seis edifícios anexos às sedes dos ministérios instalados na Esplanada dos Ministérios em Brasília. Esses imóveis ficam às margens das vias S.2 e N.2.

De acordo com o governo federal, o custo total com a construção dos anexos (prédios novos, próximos aos ministérios, na Esplanada), será de R$ 876 milhões. Segundo cálculos do Ministério do Planejamento, haverá redução da despesa com aluguel, no mesmo período, de R$ 1,36 bilhão. Com isso, o governo espera economizar R$ 487 milhões durante o período de construção. “A partir do décimo segundo ano, o ganho será de R$ 115 milhões por ano”, acrescentou. A edificação seria em parceria com a iniciativa privada – PPP e o processo que deve demorar 12 anos.

De acordo com o secretário-executivo do Ministério do Planejamento, Dyogo de Oliveira, atualmente há 15 mil servidores ocupando espaços alugados em imóveis particulares em Brasília.

“Os prédios que construiremos abrirão espaço para 17 mil pessoas. Justifica deixar de pagar esse aluguel”, declarou. Ele citou o caso da Secretaria de Aviação Civil, da Anvisa e do Ministério das Cidades como exemplos de funcionários que ocupam espaços alugados.

Além disso, também prevê construir a sede II da Receita Federal do Brasil, estimada em R$ 495 milhões, e reformar o Bloco O da Esplanada dos Ministérios (R$ 65 milhões) e do edifício Siderbrás (R$ 27 milhões).

De acordo com o Ministério do Planejamento, o bloco O da Esplanada é onde funcionava o ministério do Exército e está atualmente desocupado. O governo informou que o prédio sofrerá uma reforma global, e que o projeto abrangerá novas tecnologias para economizar água e luz. O modelo servirá de base para o restante da Esplanada. A fachada não será alterada para manter as características históricas.

 

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s