Com dívidas, rede SuperMaia de mercados pede recuperação judicial

supermaiaA Vara de Falências, Recuperações Judiciais, Insolvência Civil e Litígios Empresariais do DF proferiu cinco decisões determinando a recuperação judicial de cinco empresas da rede de supermercados Supermaia: Fagundes Supermercados LTDA (Supermaia Núcleo Bandeirantes); Paulo & Maisa Supermercados LTDA (Supermaia 508 SUL); Maia Sudoeste Supermercados LTDA (Supermaia Sudoeste); Maia Arapoanga Supermercados LTDA (Supermaia Arapoanga); e Maia Taguatinga Supermercados LTDA (Supermaia Taguatinga).

O pedido de recuperação foi feito pelas empresas em 21 de agosto, passado. Reunidas, a dívida das cinco empresas que deverão ser sanadas durante o período da recuperação judicial ultrapassa a casa dos R$ 71,4 milhões. Supermaia Núcleo Bandeirantes, passivo sujeito a recuperação de R$ 3.377.260,24; Supermaia 508 SUL, passivo de R$ 32.407.439,01; Supermaia Sudoeste, valor aproximado de R$ 29 milhões; Supermaia Arapoanga, R$ 2.864.978,60; e Supermaia Taguatinga,  passivo sujeito a recuperação de R$ 3.809.283,22.

A recuperação judicial é uma espécie de concordata mais flexível. Concordata era um termo que existia no Brasil até 2005 e servia como um instrumento para evitar a falência. Mas por conta da lei que regulamentava a concordata, que impunha certos pagamentos e prazos, acabava levando as empresas concordatárias à falência. Desde então a concordata foi substituída por outro instrumento, chamado de recuperação judicial cujo o objeto é evitar a falência (morte) da empresa.

supermaia508A rede SuperMaia é um empreendimento brasiliense. O primeiro mercado surgiu em 1993, no Cruzeiro. Seu fundador, Paulo de Mendonça Maia, morreu aos 83 anos em agosto de 2014. Hoje, ela emprega 3.000 pessoas e possui uma estrutura de venda de  20.000 metros quadrados para um público consumidor de cerca de 40.000 clientes por dia.

Segundo o portal do Supermaia na internert, a rede é formada por 15 estabelecimentos, sendo um em Goiás, em Valpáraiso. Um de seus endereços mais tradicionais é na 508 Sul, onde funcionava a Bi Ba Bô.

supermaia2No Lago Sul, onde funcionava na QI 5 nas antigas insrtalações da SAB, há muito tempo o estabelecimento se encontra fechado.

As empresas da rede de supermercados Supermaia declararam à Justiça estarem em crise econômico-financeira e pediram serem enquadradas na condição de recuperação judicial. Ao deferir os pedidos, a Vara determinou a suspensão de todas as ações de cobrança ou execuções contra o Supermaia, ressalvadas as hipóteses de dívidas trabalhistas previstas nos parágrafos 1º e 2º, do artigo 6º da Lei 11.101/2005.

Recuperação judicial

Na recuperação judicial, fica a cargo do administrador judicial (pessoa que passa a fiscalizar a empresa em dificuldades em nome da justiça) e do comitê de credores (que representa aquelas pessoas afetadas diretamente pelas dificuldades da empresa: credores e empregados) a formulação e aprovação de um plano de recuperação judicial.

A recuperação judicial tem por objetivo tornar viável a superação da situação de crise econômico-financeira do devedor, a fim de permitir a manutenção da fonte produtora, do emprego dos trabalhadores e dos interesses dos credores, promovendo, assim, a preservação da empresa, sua função social e o estímulo à atividade econômica. Visa, portanto, permitir que a empresa não paralise seu funcionamento, dando-lhe nova chance de êxito.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Brasília - DF, Economia & Finanças, Emprego & Mercado de Trabalho, Justiça, TJDF. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Com dívidas, rede SuperMaia de mercados pede recuperação judicial

  1. Dioclécio Luz disse:

    O que ocorre é que esta Rede é muito ruim de negócios. Conheço um dos supermercados no caminho de casa, o do Taquari. E sei como eles trabalham mal.
    Vou dar dois exemplos. Houve uma época em que, para não pagar ECAD (veiculação de música), eles resolveram empurrar propaganda, a mesma chamada, durante as 12 horas de operação. Uma coisa horrível para quem faz compras. Fui reclamar com o gerente. Ai descubro que ele não decide nada. Me mandaram para um 0800 que não era 0800. Liguei. E a resposta era a mais idiota possível: é isso mesmo, decisão da matriz. Ponto.
    Segundo. Os supermercados oferecem caixas vazias para se usar as sacolas. Este aqui nunca tem. O mundo inteiro vai lá na frente e esses caras parados. Reclamara com o gerente? Não adianta nada. Ele não sabe de nada. Não decide nada.
    Ou seja, uma empresa que não ouve os clientes vai fechar. .
    Tá na cara que uma bodega dessas vai quebrar!

    Curtir

  2. paulo gomes de oliveira disse:

    Sr dioclecio moro no taquqri não sei onde fica o super maia o sr poderia me informar onde fica.

    Curtir

  3. Luan Santana marinho disse:

    Fui um dos gerentes dessa empresa, eles não dão autonomia para os gerentes.só tem lá pra dizer q tem.
    (As palavras de baixo calão foram retiradas desse comentário pelo blogueiro).

    Curtir

    • Roberto Almeida Assunção disse:

      Gostaria de saber que e o responsável geral do super maia? Gostaria de conversar com ele em particular, alguém pode me ajudar?

      Curtir

  4. Pingback: MP amplia denúncia contra donos do SuperMaia | Brasília, por Chico Sant'Anna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s