Trem Regional para Luziânia: será que agora sai?

Alguns trechos da Ferrovia Brasília-São Paulo estão literalmente entregue às galinhas. Foto de Cgico Sant'Anna.

Alguns trechos da Ferrovia Brasília-São Paulo estão literalmente entregue às galinhas. Foto de Chico Sant’Anna.

R$ 3,317 milhões serão investidos para elaborar o estudo de viabilidade técnica e econômica do trem Regional de Brasília. Estudos devem estar prontos em junho de 2016.

 

Por Chico Sant’Anna

A Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT lançou edital para selecionar pessoa física ou empresas que será incubida em realizar estudos acerca da viabilidade da implantação de transporte ferroviário de passageiros no corredor de Luziânia (GO) a Brasília (DF).

O Chamado Trem Regional de Brasília é um sonho antigo e apontado como a solução de transporte para os moradores do Entorno Sul que precisam se deslocar até à Capital Federal. 

O traçado deve ter uma extensão aproximada de 85 quilômetros,  entre a Rodoferroviária de Brasília e a Rodovia GO-10, em Luziânia. No Distrito Federal, a linha poderá atender moradores e trabalhadores da Cidade do Automóvel, Setores Lúcio Costa, de Inflamáveis e de Indústria e Abastecimento, Guará, onde pode existir integração com o metrô, Núcleo Bandeirante – com integração ao BRT Sul (Gama e Santa Maria), Park Way. E com alimentação de ônibus, beneficiar moradores do Gama e Santa Maria e até de Brazlândia, já que a linha férrea passa nas imediações da Estrutural. Em Goiás, as localidades de Valparaiso, Cidade Ocidental, Jardim ABC e Luziânia seriam diretamente beneficiadas. Novo Gama e Pedregal, também.

Leia mais em:

O estudo técnico a ser elaborado deverá abranger a viabilidade técnica, econômica, socioambiental e jurídico-legal. Não está definido ainda que tipo de transporte ferroviário será utilizado: trem tradicional, Veículo Leve sobre Trilho (VLT) ou outro. Mas é certo que se sair, a linha deverá ser explorada por empresa privada que receberá uma outorga de exploração de serviço de transporte ferroviário de passageiros, entre o município de Luziânia/GO e o Distrito Federal.

A empresa selecionada para elaborar os estudos técnicos terá o prazo de 240 dias corridos, contados da publicação do resultado da seleção. O custo dos estudos foram estimados em R$ 3,317 milhões.

Hoje abandonada, a Estação Bernardo Sayão, entre o Guará e o Núcleo Bandeirante poderá ser importante ponto de integração com outros tipos de transpórte coletivo. Foto de Chico Sant'Anna.

Hoje abandonada, a Estação Bernardo Sayão, entre o Guará e o Núcleo Bandeirante poderá ser importante ponto de integração com outros tipos de transpórte coletivo.
Foto de Chico Sant’Anna.

Traçado

Não é certo que o Trem Regional de Brasília venha usar trecho da linha férrea Brasília – São Paulo da extinta RFFSA – privatizada no governo Fernando Henrique e concedido à Ferrovia Centro Atlântica – FCA, atualmente utilizada somente para o transporte de cargas. Vai ser o estudo técnico que definira entre três possibilidades:

a) utilização da ferrovia existente, sem alterações no traçado atual;
b) utilização de parte da infra e superestrutura ferroviária existente, realizando-se alterações/ajustes no traçado atual, no intuito de aumentar a velocidade das composições e reduzir distâncias (retificação de trechos); e
c) implantação de nova ferrovia, com novo traçado (desconsideração da ferrovia existente).

Qualquer que seja a opção deverá ser considerada a integração com o metrô do Distrito Federal, e com os serviços locais de transporte público nos municípios do Entorno e no Distrito Federal. A integração é para facilitar a captação e distribuição de passageiros.

Veículo particular

Uma das metas do Trem é reduzir o tráfego de veículos individuais na BR-40 e na Epia. Por isso, deverá ser identificada e mensurada a propensão dos usuários de transporte público e privado à migrar para o modo ferroviário, em especial do transporte rodoviário interestadual semiurbano, bem como a propensão do usuário em realizar viagens integradas, utilizando-se do transporte ferroviário e complementando a viagem com um ou mais modos de transporte (metrô, ônibus, bicicleta, automóvel, caminhada etc.).

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Bicicletas, Brasília - DF, BRT, Cidades Satélites, Entorno, Entorno do DF, Gama - DF, Goiás, Guará, Metrô-DF, Núcleo Bandeirante, Park Way, Santa Maria, Transporte Coletivo, VLT. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Trem Regional para Luziânia: será que agora sai?

  1. Ítalo Pasini disse:

    Considerando que o Metrô de Brasília foi iniciado em 1992 e nem sequer foi terminado; o estudo concluir pela viabilidade do projeto da ferrovia, podemos esperar sua conclusão para 2 050. Assim é Brasília e sempre será.
    Atenciosamente,
    Ítalo Pasini (italopasini@gmail.com)

    Curtir

  2. Pedro Coelho disse:

    É realmente difícil de acreditar que esse projeto um dia vai se tornar realidade. O tema de adequação da mencionada linha férrea já foi mencionado por vários governantes e deputados de Brasília e Goiás nos últimos mandatos.
    No final do ano de 2013, foi assinado um contrato pela SUDECO, acho que com aval da ANTT, no valor de R$ 1,8 milhão para estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental para criação do trem Brasília/DF-Luziânia/GO. Depois de dois anos nos deparamos novamente com a notícia de um novo processo para contratar os mesmos serviços por quase o dobro do contrato anterior, conforme edital “Chamamento Público nº 4/2015, publicado no site ANTT”.
    Qual será a explicação dos órgãos responsáveis para contratação do mesmo serviço por 2 vezes? E se a primeira contratação não atendeu a expectativa, quem arcará com o prejuízo e o tempo perdido para solução de um dos maiores problemas enfrentado na região, que é o deslocamento dos moradores das cidades do entorno para Brasília/DF, para trabalhar, estudar e cumprir com os demais compromissos diários?
    Atenciosamente,
    Pedro Coelho

    Curtir

  3. Gabriel disse:

    De novo? Eu tive que comentar… DE NOVO ESSA ESTUDO?? MAS QUE P* É ESSA? Esse governo tá de palhaçada? O nome disso é incompetência- vamos fazer assim todo ano vamos lançar um estudo de viabilidade que dura 10 meses e sempre aumentamos o valor – (quando nos atingirmos a meta a gente dobra a meta) e mais uma coisa se a família Roriz está no meio pode saber que é desvio na certa. Foi promessa do Agnelo e agora novamente do Rollemberg. Nem com recursos federais isso vai sair do papel pq os governantes são TODOS incompetentes e a população conformada/alienada na sua dura rotina escrava de trabalho.

    Curtir

    • Pedro Coelho disse:

      Será que só alguns vêem esse despropósito? E os órgãos como TCU e Ministério Público, por que não tomam atitude em relação ao desperdício de recursos?
      Acompanho o assunto de estudo de viabilidade da linha férrea de Luziânia-GO para Brasília a mais de 5 anos, e até agora, só gasto com reuniões, grupos de trabalhos e nada de resultados.

      Curtir

  4. Pingback: Expresso Piqui – linha ferroviária Brasília-Goiânia – nem saiu do papel | Brasília, por Chico Sant'Anna

  5. Pingback: R$ 7 bi: o preço para o Expresso Pequi rodar do DF a Goiânia | Brasília, por Chico Sant'Anna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s