Poema de Fim de Semana: Escola de Flores

Tulipas russiaPoema de Luiz Martins da Silva. Fotos de Chico Sant’Anna

 

Nada contra, mas vivo

Numa cidade de escalas

E flores civilizadas.

Envergonha-me não sabê-las

E conversar com temores

De serem bravas ou travos

Sem apelidos populares.

 

 

Intimidades, sim,

Mas, conivências botânicas,

Currículo de paisagistas.

Mesmo assim, me apresento

Reverencio seus santos

De nomes ocultos e cantos,

Tantos sãos os seus hóspedes.

 

 

Oração da árvore desconhecida.

Outro dia, vi numa fachada:

“Igreja do Caminho das Árvores”.

Para quem sobrevive no asfalto!

Sombra e algum sobressalto

Face a fragrâncias e roupagens.

 

 

Em se plantando tudo deu.

Desde quem da Índia veio,

China, Malásia, Molucas,

Cravo, canela, espatódea…

Terra de todos os verdes:

Brasil, vegetal Brasília.

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, Literatura e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Poema de Fim de Semana: Escola de Flores

  1. Nailda Rocha disse:

    Bravo mestre! Bravo! Todas as reverências à nossa cidade! Tarde alegre, cheia de flores!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s