DF tem a melhor produtividade na produção de grãos do Centro-Oeste

graos 2Por Chico Sant’Anna

O Distrito Federal, embora seja a menor unidade da Federação que forma a Região Centro-Oeste, apresenta o melhor índice de produtividade de grãos por área plantada. 

Aqui são colhidas 5,80 toneladas por hectare plantado. Depois da Capital Federal, o Estado de Mato Grosso Sul possui a melhor performance: 4,12 toneladas por hectare. Isso é fruto da tecnologia implementada pelos produtores rurais candango. Mato Grosso,com 3,80 toneladas por hectare, e Goiás, com 3,70 toneladas por hectare, complementam  o grid de produtividade da produção de grãos na Região.

O incremento de produtividade do Distrito Federal vem crescendo nos últimos anos. Na safra (2012/13), com a mesma área plantada de grãos da Paraíba, o Distrito Federal colheu  um volume 41 vezes maior que o Estado nordestino. Sergipe, por exemplo, planta em uma área duas vezes maior do que o DF e, mesmo assim, sua produção é 78 mil toneladas mais baixa. A região de destaque do Distrito Federal se localiza no Programa de Assentamento Dirigido do DF (PAD-DF), na saída para Unaí.

A Capital Federal se notabiliza pela produção de soja, trigo e de milho, apresentando as melhores taxas de produtividade do Brasil. No DF, o desempenho do trigo, irrigado, é de 5,7 toneladas por hectare, também o teto nacional em 2012/13, ultrapassando o Rio Grande do Sul, tradicional produtor do grão que alcançou a colheita média de 1,8 tonelada por hectare.

Centro-Oeste

O Centro-Oeste produz cerca de 42% da safra brasileira de grãos. A Região respondeu por cerca de 42% da produção brasileira de grãos na safra 2014/2015, que atingiu 209 milhões de toneladas.  A produção da região alcançou 88 milhões de toneladas no ciclo agrícola concluído recentemente, com aumento de 7,7% em relação à temporada anterior (2013/2014), de 81,7 milhões de toneladas, de acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Entre os produtos mais cultivados no Centro-Oeste, estão a soja, o milho e o algodão, importantes itens da pauta de exportação do Brasil.

Os números da safra 2014/2015 mantêm o Centro-Oeste como a principal região agrícola do país, seguido do Sul (77,4 milhões de ton), Sudeste 19,1 milhões de ton), Nordeste (16,8 milhões de ton) e Norte (8 milhões de ton).  O CO ocupa essa posição desde a temporada 2011/2012, quando ultrapassou pela primeira vez o Sul, na série histórica da Conab, com uma produção de 71,1 milhões de ton, colhidas em uma plantada de 18,8 milhões de hectares.

Ainda segundo os dados da estatal – responsável pelo acompanhamento da safra brasileira –, a área plantada do Centro-Oeste teve crescimento de 3,6% na safra 2014/2015, na comparação com o período 2013/2014, passando de 22 milhões de hectares para 22,86 milhões de hectares. Já a produtiva aumentou 3,9%, saindo de 3.704 quilos por hectare para 3.850 quilos por hectare.

graos 1Estados

Em quantidade produzida, o Distrito Federal, menor unidade da Federação, ocupa a quarta posição, com uma produção de 882,7 mil toneladas de grãos em 2014/2015, em uma área 152 mil hectares.

Mato Grosso é o principal produtor do Centro-Oeste, conforme as estatísticas da Conab. Na temporada 2014/2015, o estado colheu 51,6 milhões de toneladas de grãos, com acréscimo de 8,2% em relação ao período anterior, de 47,7 milhões de toneladas. A área plantada teve leve crescimento, de 1,8%, saindo de 13,32 milhões de hectares para 13,56 milhões de hectares.

Goiás é o segundo maior produtor agrícola da região. A safra de grãos alcançou 18,9 milhões de toneladas em 2014/2015, com incremento de 3,7% em relação ao período 2013/2014, de 18,2 milhões de toneladas. A área plantada de GO cresceu 7,2%, indo de 4,7 milhões de hectares para 5,1 milhões de hectares.

Em seguida, aparece Mato Grosso do Sul, com 16,5 milhões de toneladas de grãos. A colheita sul-mato-grossense no ciclo 2014/2015 teve acréscimo de 13,3%, em comparação com o período anterior, quando atingiu 14,6 milhões de toneladas. A área plantada do estado chegou a 4 milhões de hectares, com expansão de 6,5% em relação aos 3,7 milhões de hectares da temporada 2013/2014.

.

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Agricultura & Alimentos, Alimentos, Brasília - DF, Brasil, Centro-Oeste, Cerrado, Distrito Federal, Economia & Finanças, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Terra e Reforma Agrária. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s