Poema de Fim de Semana: Paris, Sexta 13

Paris L'operaPoema de Luiz Martins da Silva. Foto de Chico Sant’Anna

 

De repente, zagueiro, lance

Cabeceia bomba, já não é bola.

Logo, logo, gramado é campo,

Concentração de reféns.

 

Paris, para sempre,

Braçadeira de luto.

Nova forma de holocausto

E a mais covarde das lutas.

 

O que dizer a Deus

Dos que aterrorizam em seu nome?

Dizer que não se disse adeus

Às armas e ao sangue?

 

Ai de ti Paris, se não puderes mais

Ser a cidade-luz, capital de todos.

Há de se alfabetizar em qualquer sotaque

Que a Paz é a maior vingança, o melhor ataque.

 

Jamais seja assassino, em Paris

Ou qualquer lugar.

Seja Ele Javé, seja Ele Alá

Deixe Paris ser uma festa.

Anúncios

Sobre Chico Sant'Anna

Sou jornalista profissional, documentarista, moro em Brasília desde 1958. Trabalhei nos principais meios de comunicação da Capital Federal e lecionei Jornalismo também nas principais universidades da cidade.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura em Brasília, Cultura, França, Literatura e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Poema de Fim de Semana: Paris, Sexta 13

  1. ARI CARLOS disse:

    ótimo! parabéns

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s